10 perguntas que toda empresa deveria se fazer

Tudo bem que a moda da vez é sobre diversidade, mas não é apenas sobre isso. Não dá pra falarmos apenas sobre diversidade quando há empresas lucrando com condições de trabalho inaceitáveis e diversas violações direitos humanos.

Você já se fez essas perguntas?

 

 

1) Estamos embarcando no tema da vez ou é nossa cultura desde sempre?

 

Há 10 anos o tema e tendência era sustentabilidade. Mundo verde, economia verde, tudo verde. Hoje o tema é diversidade. Quais são os objetivos e o que você quer alcançar utilizando a diversidade apenas como tema? A necessidade de abarcar, dentro de sua empresa, a pluralidade e diversidade das pessoas ultrapassa uma temática, deve ser uma política de inclusão, visto a conjuntura social que marginaliza pessoas dado seu gênero, sua raça, sua fisionomia, sexualidade, identidade de gênero e etc. Sem contar que diversidade gera bem-estar no espaço, criatividade, pluralidade de ideais e muito mais.

 

2) Como está a responsabilidade de respeito aos Direitos Humanos na minha empresa?

 

É sabido que a responsabilidade das empresas de respeitar os direitos humanos ligados aos Direitos Humanos internacionalmente reconhecidos – que incluem, no mínimo, os direitos enunciados na Carta Internacional de Direitos Humanos e os princípios relativos aos direitos fundamentais estabelecidos na Declaração da Organização Internacional do Trabalho relativa aos princípios e direitos fundamentais no trabalho.

 

3) Como evolui a política de direitos humanos da minha empresa, e como ela ainda poderá evoluir?

 

Na área dos direitos humanos a necessidade é para um olhar mais humanizador e focado no bem estar e na saúde do trabalhador/a. O risco para o negócio e os detentores de direitos é o mesmo, pois eles tendem a se alinhar, ou seja, se a/o funcionário tem todos os seus direitos salvaguardados desempenharão as atividades com qualidade.

 

4) Se minha empresa promove a cultura dos direitos humanos, quais são os indicadores que utilizo?

 

É necessário criar mecanismo de monitoramento, indicadores qualitativos e quantitativos. Além disso, estar atenta(o) a todas as informações de todas(os) agentes envolvido no desenvolvimento da empresa.

 

5) Minha empresa defende uma causa, mas retroalimenta uma opressão ou violação de direitos?

 

A causa não pode ser tratada como tema. Visibilidade e representatividade da população marginalizada socialmente é apenas um passo para construção de uma sociedade mais equânime, porém para que isso aconteça, além da visibilidade precisa ter efetividade. Contratação dessa diversidade é que fará de fato a causa ter alguma valia.
6) Minhas/meus funcionárias e funcionários são orientados quanto aos seus direitos?

 

 A Política de direitos humanos precisa ser comunicada a todos as(os) funcionárias(os), fornecedores, relações de negócio e outras partes diretamente ligadas às suas operações, produtos ou serviços, e estipula expectativas destas partes.

 

7) A política de Direitos Humanos da minha empresa está bem explicada para meus/minhas funcionárias? De qual forma?

 

É fundamental que todas(os) as(os) funcionárias(os) tenha conhecimento da política de Direitos Humanos da empresa em que trabalha. Para isso, a sugestão é que coloque nas suas comunicações públicas (por exemplo, site, mídias sociais – caso possua, relatórios externos, intranet) e que seja de fácil acesso para todas(os).

 

8)Como meus/minhas funcionários e funcionárias participam da avaliação do impacto real e potencial das atividades sobre os direitos humanos da minha empresa?

 

Sabendo que o para identificar, prevenir e reparar os impactos negativos de suas atividades sobre os direitos humanos, as empresas devem realizar auditória em matéria dos Direitos Humanos. Para isso, é imprescindível que as partes que as(os) funcionárias(os) façam parte de todo o processo de avaliação do impacto real e potencial das atividades sobre os direitos humanos, tendo a integração das conclusões e sua atuação a esse respeito.

 

9) Qual equipe faz parte do monitoramento da aplicação dos Direitos Humanos da minha empresa?

 

Como o monitoramento precisa levar em consideração as informações vindas de fontes tanto internas como externas, inclusive das partes interessadas afetadas, como por exemplo as(os) trabalhadores, é importante ter uma equipe sensível e atenta as necessidades de toda a sua equipe.

 

10) Como agimos com os impactos negativos sobre os direitos humanos da empresa?

 

A tentativa é sempre de ter o menor impacto negativo possível, visto que, se sua empresa está alinhada as políticas de Direitos Humanos e com uma equipe qualificada para monitoramento, os dados serão menores. Porém, tendo como resultado negativo, precisa de forma precoce e direta, para evitar danos maiores.